21 de mar de 2010

Mendigo fashion na cidade de Ningbo na China

Na discussão entre blogs – e até no Pense Moda – sobre o streetstyle, lááá atrás, surgiu, em determinado momento, a fatídica questão: e os looks dos mendigos? Podem ser considerados streetstyle? Chegou-se à conclusão que, não, não podem. Para ser considerado streetstyle, precisa haver INTENÇÃO de produzir estilo e que, sendo a produção dos homeless mera obra do acaso, não poderia ser classificada como tal. Eu super concordo com esse ponto-de-vista, até para os não-mendigos, cidadãos comuns que não estão nem aí pra moda, que compram e vestem roupas apenas por necessidade ou formalidade. Em Paris tem de monte, em São Paulo, Nova York, Milão…não dá pra considerar esse grupo de pessoas como parte integrante do streetstyle de uma grande cidade, concordam?


Pois é. Daí, eis que ontem um amigo me envia um link de uma matéria do Yahoo que falava sobre um mendigo chinês cheio de estilo, apelidado de Brother Sharp, figurinha errante e já famosa da cidade de Ningbo. O jornal inglês The Independent fez textão sobre o moço e o zunzunzum que ele vem causando na cidade chinesa. Ninguém sabe ao certo sua real identidade, sua idade e nem sua história. E parece que ele não deixa as pessoas se aproximarem muito, que teria problemas mentais, o que dificulta o processo de matar toda essa curiosidade. O fato é que Brother Sharp é capaz – conscientemente ou não, vai saber – de produzir looks dignos de editoriais de moda super afiados, brincando, inclusive, com a fronteira do masculino e feminino e resgatando também o universo de Vivienne Westwood que, recentemente, realizou coleção inspirada nos moradores de rua. A brincadeira foi batizada de Homeless Chic.






E aí? É streetstyle ou não?! Fiquei confuso…

fonte:  http://colunistas.ig.com.br/hypercool/2010/03/12/mendigo-fashion/

Nenhum comentário:

Postar um comentário